sábado, 26 de novembro de 2011

Bem menines e menines, venho falar sobre algo que afeta diretamente a vida de muit@s vulves por esse mundão afora: Trabalho, emprego, e, logicamente dinheiro.

Entre o pessoal que curte o vulva, a gente sabe que há muita gente começando nesse mundo de trabaiá, ganhar seu dinheirinho pra pagar as boas baladas sem precisar dar satisfação pra mamãe (como se isso adiantasse, rs), pra comprar aquela minissaia que vc quer sem ninguém poder dar pitaco, pra ir na academia malhar a boa barriguinha de tanque, deixar seu coxão que nem o de uma paniquete (parecendo coxa de peru de natal) e tá nessa de sair jogando currículo em tudo quanto é oportunidade. Porque a gente sabe que tá difícil, em alguns lugares menos, outros mais... mas se tivesse fácio não tava tanta gente lutando por um lugar ao Sol. Nessa época de natal então... muita gente aproveitando essas oportunidades que estão aparecendo.


Então a Vulva veio pra dividir algumas apreciações sobre esse assunto, não necessariamente dar dicas, pq não somo digamos, parâmetro de comparação, tamu igualzin vocês (ou peor, abafa) . Mas já samo calejada pela vida, já tomamo coió demais, então vamo se meter na vida de voceis e dar nossazopinião!

Em primeiro lugar, uma coisa importante. A maioria das pessoa se não faz ou fez, ainda vai fazer faculdade. Então a gente sai do Ensino Médhio naquele fogo pra arranjar aquele primeiro trabalho, pra poder alugar o tão sonhado apê pra morar sozinhe ou com azamigue, viajar todo fim de semana (essas coisa q a gente diz q vai fazer mas acaba acomodada na casa da mãe mesmo e/ou faz nada disso...)  enfim, acaba aceitando aquele primeiro emprego que aparece pra começar a vida solo cheios de expectativas, sonhos, coisas que acabam esmagadas pelo caminho duro do mundo empresarial capitalista. Afinal, 90% dos empregos para pessoas que estão iniciando no mercado de trabalho se resumem a comércio, telemarketing e administrativo (esse ultimo mais exigente, porém da brechas pra quem tá começando).

Bem, vamos apontar algumas questões.

A gente raramente começa fazendo o que gosta e muito menos ganhando o que gostaria.
Pra quem está na área do comércio, a pressão costuma ser grande e o tempo disponível pra viver off, pouco.

Se você não curte a área que está atualmente, lembre-se que todo conhecimento é válido pra vida, você percebe que tem coisas, por exemplo, que não fará de novo nem por todo dinheiro do mundo!  Mas a gente só sabe vivenciando...

Uma educação econômica é necessária pra quem tá começando, não é porque tamo empregada de carteira assinada que vamos sair parcelando tudo no cartão de crédito. Aliás, as firmas de cartão de crédito que me perdoem, afinal nenhuma delas nos patrocina, mas cartão de crédito é coisa do demo e deve ser evitada a qualquer custo por qualquer pessoa.

É cruel mas quem não se identifica com essas áreas acaba sofrendo um pouco mais. Assim como se exige um perfil de beleza pras pessoas no dia-a-dia, no trabalho também exigem essa merda. Desenvoltura, simpatia, paciência, postura, blablabla, roupa passada, mimimi, vamo combinar, entrar nessa fôrma tá muito difícil hoje em dia. Conselho que dou? Faz um teatro ou alguma atividade em que você esteja em contato direto com pessoas. Nesse caso não indico por conta do mundo do trabalho, mas uma coisa pra você levar pra vida. Até mesmo pra vc dar uma enrolada nesses selecionadores. Pedir demais pra pagar essa mixaria que tão pagano, é dose.


Nem todo mundo tem gás e saco pra essa competitividade do mundo do trabalho. Naquelas entrevistas em que tod@s quer ser um@ melhor que a outr@, a gente sempre pensa “PELAMORD DELS QUE QUE EU TO FAZENDO AQUI?” Calma colegue, segura a xereca na cadeira, e na sua vez de falar seja você mesma. Só não fala das abobrinha que você lê nesse blogue né?  Haha, nóis do Vulva samo estudada mas ninguém entende nosso ponto de vishta! A gente não concorda com essa coisa injusta do mundo do trabalho, mas... até que as coisas mudem (e só podem ser mudadas por nós) não podemos ficar sem nosso gold de cada dia. Ser vc mesme é o melhor remédio, pois ser cortada de uma entrevista por ser sincera, mostra que o perfil q eles querem não é o seu e isso te poupará de passar por momentos infelizes da vida...

Uma outra coisa... é importante você quando estiver já no empreguinho e tal, ter força pra se posicionar quando necessário. Tive muita chefa boa, que era praticamente mãe, do tipo que da carinho mas bate quando necessário e você não vê jeito de não amar. Mas já tive chefa que não respeita os funcionários. Nem preciso dizer q não durei muito no emprego rs, mas não esperei nada sério acontecer pois privilegiei minha sanidade mental em primeiro lugar. E peço a vocês pelo dinheiro que for não aceitar qualquer tipo de abuso. Pois eles acontecem porque ficamos calados quando deveríamos falar... Estudar é sempre bom e estudar nossos direitos trabalhistas também, pois a escravidão já foi abolida e não tamo na pista pra esse tipo de negócio.

Bom, depois escrevo outro artigo sobre esse assunto.  Deixem seus comentários e mandem perguntas para nosso formspring, não só sobre esse assunto como qualquer assunto! Samo dessas que adora responder uzotro! Beijos!
Reações:

0 comentários: